A arte de fazer moda

Fashion designer is drawing a fashion sketch for autumn-winter season

Fashion designer is drawing a fashion sketch for autumn-winter season

Já perdi a conta de quantas vezes vi pessoas revirando os olhos ao escutar comentários sobre moda. Supostos intelectuais veem a indústria da moda como algo fútil, vazio e manipulador. O preconceito com a moda e com aqueles ligados a ela já é algo clichê. O mundo precisa abrir os olhos para essa indústria que cresce cada vez mais e merece respeito como qualquer outro ofício.

A moda está em todo lugar, nos livros, na música, no cinema, é onipresente, e se dizer não influenciado por ela é hipocrisia. As roupas que vestimos não servem apenas para nos proteger do frio, são instrumentos de auto-expressão e são fruto do trabalho de estilistas que, mesmo sem serem reconhecidos, mudaram a história da humanidade. As mulheres apenas passaram a usar calças como os homens porque uma certa francesa chamada Gabrielle Chanel decidiu revolucionar os costumes de sua época, o que acarretou em um revolução feminista em todo o mundo.

Já é fato consumado que a maneira como nos vestimos e nos apresentamos mostra quem somos. Em um museu, basta analisar as vestimentas para identificar a época em que os quadros foram feitos. As roupas representam os valores e aspectos de cada época e de cada indivíduo, somos por dentro o que confessamos por fora, não há como negar isso.

Há quem diga que a moda é elitista e restrita, mas a verdade é que vivemos hoje uma nova maneira de divulgar e consumir moda. As tendências já não têm o mesmo peso, diversas cores e estilos dividem as passarelas a cada estação e cabe à cada um decidir o que usar. Além disso, está cada vez mais acessível, renomados estilistas fazem parcerias com grandes lojas de varejos trazendo as passarelas para o dia-a-dia. A ideia de que apenas as mulheres magras e ricas poderiam consumir moda é ultrapassada, cada vez mais pessoas de qualquer tamanho e classe podem entrar nesse mundo.

Moda é arte, tão arte quanto o que se vê em museus. É a arte que se usa, arte que vai para as ruas no corpo das pessoas, arte mais íntima e humana. O que se vê nas passarelas não são apenas pedaços de tecidos, são os trabalhos de homens e mulheres que dedicam seu tempo a criar peças que representam as pessoas, que irão compor a identidade de cada um de nós. A moda é como uma antologia de histórias de nós mesmos, e merece ser vista como tal.

Por Luísa Dal Mas

18 de abril de 2013

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

0 Comments

  1. Responder

    Lisete

    17 de abril de 2013

    Adorei!!! muito bom.

  2. Responder

    Deisy

    18 de abril de 2013

    Ótimo!

Deixe uma resposta