Pó Mágico On Film – My Fair Lady

Cinema e moda sempre andaram juntos. É fácil identificar a época de um filme pelo figurino dos personagens e muitas vezes é através dele que se cria o “clima” da história. Ao meu ver, é o figurino que dá vida ao personagem, e não é a toa que muitos atores só conseguem encarnar de fato seu papel quando estão usando as roupas, o cabelo, a maquiagem.

Alguns longas dedicam uma atenção especial ao seu figurino e acabam se tornando quase que um novo personagem na história. Por conta dessa influência tão grande da moda no cinema, decidi criar uma série aqui no Um Pouco de Pó Mágico listando os meus figurinos favoritos.

My Fair Lady Capa

O primeiro da lista é o musical My Fair Lady (Minha Bela Dama), de 1964. O filme conta a história de Eliza Doolittle, uma jovem vendedora de flores, interpretada por Audrey Hepburn, que não tem nenhuma classe e fala com um forte sotaque do interior da Inglaterra, pronunciando de maneira incorreta quase todas as palavras, sempre gritando ao invés de falando. Uma noite, Eliza estava vendendo suas flores em frente a um teatro quando o professor de fonética Henry Higging (Rex Harrison) escuta seu sotaque e fica horrizado. Ele então faz uma aposta com um amigo, alegando que é capaz de transformar a simples vendedora de flores em uma dama da alta sociedade, usando seus conhecimentos de fonética para ensiná-la a falar corretamente e a portar-se como uma lady.

My-Fair-Lady-audrey-hepburn-824851_613_800

Essa premissa de transformação e “makeover” de personagens quase sempre dá espaço pra uso de figurinos muito legais e no caso desse filme, que se passa no início do século XIX, os vestidos gloriosos chamam muita atenção. O responsável pelo figurino do filme foi o fotógrafo e figurinista inglês Cecil Beaton. Na versão teatral do musical, foi Beaton quem idealizou todas as roupas, além de criar o design do set. Quando a peça foi adaptada para o cinema, o fotógrafo levou suas criações e adaptou o figurino para a tela, o que lhe rendeu o Academy Award de Melhor Figurino.

Uma das minhas cenas preferidas é quando Higgins faz o primeiro teste de apresentação de Eliza para a alta sociedade em uma corrida de cavalos, na cidade de Ascot. Todos os figurantes presentes na cena estão usando preto, branco ou cinza, criando uma paleta de cores monocromática que fica linda na tela. Os vestidos das mulheres são enormes e cheios de detalhes, sem falar dos chapéus que são um espetáculo a parte, típico de eventos da aristocracia inglesa.

MyFairAscot1

Picture-7h

Quem ouve falar em My Fair Lady provavelmente tem em mente o vestido usado por Audrey nessa cena, que também ilustra a capa do DVD. Seguindo a linha dos outros convidados do evento, o vestido é todo em preto e branco com renda e laços. Para se diferenciar dos outros figurantes, o chapéu de Audrey é o único com um toque de cor, um pequeno detalhe em vermelho e rosa que pode parecer discreto, mas dá um destaque para a protagonista.

cena-do-filme-my-fair-lady-div-taschen

My-Fair-Lady-2

Além da cena de Ascot, todos os outros figurinos usados por Hepburn durante o longa são gloriosos e enchem os olhos de quem assiste. Não só os vestidos no estilo “lady” merecem admiração, mas o traje de Eliza quando ainda é uma simples vendedora de flores também é lindo. Fica claro que Beaton dedicou muito tempo na elaboração dos figurinos e seu trabalho com certeza trouxe ótimos resultados, dando uma vida especial para o filme.

MFL038

6a40ea34acf1b384ef4d76da1f286ced

Audrey-in-My-Fair-Lady-audrey-hepburn-11216592-1237-1600

Annex - Hepburn, Audrey (My Fair Lady)_24

Luísa Dal Mas

Follow my blog with Bloglovin

15 de maio de 2014
9 de junho de 2014

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

Deixe uma resposta