YouTube além do chubby bunny (pt 1)

Com 10 anos de vida e mais de um bilhão de usuários, o YouTube já provou que é um meio de comunicação tão relevante quanto a televisão, o jornal ou qualquer outra plataforma. Como futura jornalista, entro nessa discussão sobre novas mídias com meus colegas e professores quase diariamente, e a conclusão é sempre de que não podemos negar o poder de sites como o YouTube que permitem que qualquer pessoa, em qualquer lugar, crie conteúdo.

Sim, tem muita coisa estranha no YT, desde vídeos de mais de trinta minutos de pessoas comendo e olhando para a câmera, até a extensa gama de vídeos de gatinhos. Mas toda essa peculiaridade a parte, existe muita gente boa ali, fazendo vídeos de alta qualidade e com conteúdo muito interessante.

Nos últimos anos os vloggers começaram a ficar mais populares no Brasil, aquela galera que fala sobre a vida e faz vídeo de desafio da canela, do chubby bunny, entre outros. Nada contra esse pessoal, assisto vários desses vídeos, mas eu queria falar um pouco sobre outros cantos do YouTube que também merecem amor. Nesse post eu vou falar de alguns youtubers gringos que eu mais gosto, porque são os que eu mais assisto, mas tem muito criador bom aqui no Brasil também. Ah, e vai ser dividido em duas parte, porque reduzir para oito já foi um desafio.

/VLOGBROTHERS

vlogbrothers

Eu diria que John e Hank Green são os reis do YT. John Green é o autor de A Culpa É Das Estrelas, mas muito antes do sucesso do livro ele e o irmão Hank já agregavam uma legião de fãs no canal. Os dois começaram a fazer vídeos em 2007 com a ideia de que eles ficariam um ano sem se comunicar via mensagens, emails ou qualquer outro meio escrito. Ao invés disso, fariam vídeos de 4 minutos ou menos falando sobre qualquer assunto.

Esse projeto inicial acabou, mas até hoje eles iniciam os vídeos com “Bom dia Hank” ou “Bom dia John”, como uma espécie de carta aberta.

Seus vlogs variam entre reflexões profundas sobre os seres humanos, questionamentos sobre acontecimentos atuais e vídeos educativos sobre conflitos mundiais.

O que me atrai nos Vlogbrothers é que eles são pessoas extremamente inteligentes, e isso fica claro no conteúdo que eles produzem. Os irmãos conseguem deixar quase qualquer tópico intrigante, a ponto de ter mais de 600 mil visualizações em um vídeo sobre Boko Haram, com uma audiência majoritariamente adolescente.

Além do canal principal, John e Hank comandam vários outros projetos, como o Crash Course, um canal educativo que aborda tópicos como ciência, história, psicologia e física.

/JEREMYJAHNS

jeremy

Toda vez que algum filme novo e interessante sai eu vou direto no canal do Jeremy para ver se ele já fez uma resenha. Considero Jeremy Jahns um crítico de cinema melhor do que muitos que escrevem em jornais e revistas. As opiniões dele parecem bastante sinceras e sem rodeios, e ainda por cima é um ótimo comediante, o que deixa os vídeos bem divertidos.

Ele não tem uma formação específica em cinema, na verdade seu interesse por filmes surgiu quando trabalhava como projetista em um cinema da sua cidade. Muitas vezes ele não analisa tão a fundo questões técnicas, de direção ou atuação, mas prefere focar no filme como um todo, como é a experiência e o que ele te faz sentir. É legal ouvir os comentários dele porque dá pra perceber quando ele está realmente empolgado com um filme ou quando ficou decepcionado.

De vez em quando ele também posta resenhas de séries de TV e video games, dependendo da popularidade e dos pedidos dos viewers.

O que eu mais gosto nos vídeos do Jeremy é que ao invés de usar um sistema de classificação tradicional, como zero a cinco estrelas, ele criou um sistema próprio que faz muito mais sentido. Um filme pode ser classificado como “é divertido se você estiver bêbado” ou “vale a pena comprar em blue-ray”.

/TYLEROAKLEY

tyler

Carismático é o melhor adjetivo para descrever o Tyler. Engraçado e exagerado na medida certa, é realmente um desafio não gostar dele. Tyler Oakley é um dos vloggers mais bem sucedidos e influentes no YouTube, com mais de 7 milhões de inscritos no seu canal.

Ele começou a fazer vídeos em 2007 no dormitório da faculdade, falando sobre seu dia a dia como se estivesse falando com seus amigos do colégio. Hoje o conteúdo que ele posta é bem variado, desde um comentário sobre acontecimentos da cultura pop, até vídeos de perguntas e respostas e conselhos para seus viewers.

Tyler é abertamente gay desde o ensino médio e nos últimos anos tem usado sua influência na internet para dar visibilidade à comunidade LGBTQ, servindo como um exemplo para jovens ao redor do mundo. Este ano ele arrecadou mais de 500 mil dólares para a fundação Trevor Project, um serviço de apoio a jovens para a prevenção de suicídios.

/BOOKSANDQUILLS

sanne

Vamos para o lado cultural do YouTube. Sanne, dona do canal Books and Quills, é uma das minhas “booktubers” preferidas. Esse título é designado às pessoas que criam vídeos focados principalmente em resenhas de livros.

Sanne Vliegenthart nasceu na Holanda e estudou Letras com ênfase em literatura inglesa na universidade. Esse conhecimento teórico faz toda a diferença no conteúdo que ela produz, pois as análises de livros acabam sendo bastante detalhadas, explicando muito bem o enredo das obras e despertando a vontade de ler em quem está assistindo.

Hoje ela mora em Londres e trabalha em uma editora, o que permite que ela fale de vários livros que ainda não foram lançados. Além de novidades, ela foca bastante em clássicos. Em 2014 ela começou uma série sobre a obra de Shakespeare, mostrando quais seriam os livros ideias para quem nunca leu peças.

Acho que ouvir uma pessoa falando sobre uma história é mais interessante do que simplesmente ler o verso de um livro na livraria. Além disso, a voz dela é muito calma e é uma maravilha de escutar. Ela também fala muito sobre adaptações de livros para o cinema e de vez em quando faz vídeos sobre Londres, como é viver na cidade e sobre lugares interessantes para conhecer.

assinatura

5 de julho de 2015

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

Deixe uma resposta