O Diário de Renato

renato livro

Eu admito que sou uma fã recente de Legião Urbana, o que até é justificável, já que Renato Russo morreu quando eu tinha apenas dois anos. Eu tinha um conhecimento geral de Legião assim como a maioria das pessoas, cantava Eduardo e Mônica e sabia algumas partes de Faroeste Caboclo. Foi há uns dois ou três anos que eu realmente descobri a maravilha que era essa banda e, principalmente, conheci o gênio que era Renato.

Quando vi “Só Por Hoje e Para Sempre” na livraria, me senti obrigada a comprar na hora. O livro é uma espécie de diário mantido por Renato durante seus 29 dias na clínica de reabilitação Vila Serena, no Rio de Janeiro. O cantor foi internado em 1993 após anos de abuso de álcool e outras substâncias. Comentários diários sobre sua estadia na clínica e exercícios de reflexão e autoconhecimento que trazem várias histórias do seu passado compõem esse diário que mostra o lado mais puro e humano do poeta que o Brasil aprendeu a amar.

Eu já sentia uma conexão com Renato Russo quando ouvia suas músicas ou quando o via em entrevistas, mas esse livro me fez sentir ainda mais próxima dele, de uma maneira estranha, considerando que nunca nos conhecemos. Renato era perfeccionista, teimoso, vaidoso, orgulhoso e acima de tudo apaixonado.

É fascinante acompanhar o processo de autoanálise do artista através das atividades propostas no programa da clínica. Logo no início suas observações eram um pouco rancorosas, não aceitava tão bem a ajuda, mas no final da seu tratamento já estava inserido naquela comunidade, tinha amigos, era um líder para os pacientes da clínica.

Ele tinha um senso de humor sensacional, escrevia bobagens, contava como achava lindo o enfermeiro que apareceu para tirar sangue, reclamava dos horários das atividades que não batiam com sua rotina. Ele era uma pessoas extremamente inteligente, via o mundo de uma maneira diferente, sofria demais com tudo, se considerava uma vítima do universo. Eu vi muito de mim mesma no Renato, coisas boas e coisas ruins. Acho que foi por isso que esse livro me marcou tanto, me fez rir, me fez chorar e me fez pensar.

Acho que entrar de maneira tão intensa nos pensamentos de um artista traz novos significados para sua arte, por isso recomendo esse livro para qualquer um que tenha algum interesse em Legião Urbana. As palavras escritas por Renato Russo nessas páginas refletem na sua música após a saída da clínica e explicam muito do seus trabalhos anteriores. É uma verdadeira jornada, um processo de reflexão que o leitor faz junto com Renato.

Depois de ler esse livro, não consigo deixar de sentir que nasci no tempo errado e por isso não pude ver em tempo real essa mente brilhante em ação. Renato, não nos conhecemos, mas sinto que seríamos ótimos amigos.

*A música Vinte e Nove é a primeira do álbum O Descobrimento do Brasi, que foi lançado menos de seis meses depois de Renato sair da clínica. A música faz referência aos vinte e nove dias que ficou internado e fala sobre como ele mudou durante esse período.

assinatura

13 de setembro de 2015

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

0 Comments

  1. Responder

    Lisete

    10 de setembro de 2015

    Luísa, louca para ler o livro também. Infelizmente nunca assisti um show do Legião, mesmo sendo desta época, não vou me perdoar nunca por isto. Mas ainda bem que a música fica para sempre para nos alegrar a alma.

  2. Responder

    Pretinha Básica Blog

    11 de setembro de 2015

    Nossa que legal! Sou super fã de Legião e estou louca pra saber como o Renato Russo, uma pessoa super difícil encarou tudo isso, Valeu a dica! Beijos

    • Responder

      luisadalmas

      11 de setembro de 2015

      Que bom! Vai gostar com certeza, é super legal e bem rápido de ler 🙂 beijos!

Deixe uma resposta