O terno delas

Eu já fiz um post esses tempos sobre igualdade de gênero dentro da moda e a tendência unissex em várias coleções atuais. Lá eu comentei que incorporar peças do guarda-roupa masculino na moda feminina já não é novidade, e é sobre uma dessas peças que vamos falar hoje: o terno <3

Traje tradicionalmente masculino, o terno sempre representou o poder dos homens, era uma roupa que exigia respeito. E enquanto os homens de negócio e os pais de família andavam por aí com ternos perfeitamente cortados e ajustados, as mulheres estavam restritas às saias e vestidos.

Houve um período em que era proibido por lei mulheres usarem calças. Até o início do século XX, elas só eram permitidas durante atividades como cavalgar ou andar de bicicleta.

Uma das primeiras mulheres a quebrar esse estigma foi a atriz alemã Marlene Dietrich, que apareceu no filme O Anjo Azul, em 1930, usando cartola e um smoking de alfaiataria. Sua personagem era uma mulher forte e manipuladora que exibia seu poder através das roupas.

marlene

Com a chegada da Segunda Guerra, as mulheres passaram a incorporar as calças com cortes masculinos no seu dia a dia por conta da praticidade, já que a maioria agora precisava trabalhar em fábricas. As peças, entretanto, não eram necessariamente pensadas para o corpo feminino, visto que a preocupação com a moda era secundária em tempos de guerra.

calcas guerra

Foi nos anos 60 que Yves Saint Laurent atraiu todos os olhares para o terno feminino, apresentado como Le Smoking. Inspirado em Marlene, a nossa vanguardista que eu citei antes, YSL trouxe um look andrógino, que trabalhava com todas as peças clássicas de um terno (colete, calça, paletó e gravata), com um corte mais preciso, pensando nas curvas do corpo de uma mulher.

Nas páginas da Vogue francesa, em um shoot feito pelo fotógrafo de moda Helmut Newton, Le Smoking ganhou status de peça mais influente do século XX, ao lado de outras grandes criações como o pretinho básico de Chanel.

le smoking 2

le smoking

A partir daí o terno só se popularizou. Nos anos 80, década marcada pelos exageros, a tendência power dressing tomou conta e ternos com ombros avantajados representavam a entrada das mulheres no mundo corporativo e as colocavam no mesmo patamar dos homens.

power suit

Hoje em dia um bom terno é sinônimo de elegância para todos os sexos e gêneros. Seja em red carpets ou entrevistas na televisão, muitas celebridades optam pelo combo calça e paletó ao invés do clássico vestido. Apesar de ser normal hoje, a jornada das mulheres até esse ponto não foi fácil e acho que é importante olhar para trás e entender a história e o legado de preconceitos que seguiram esse look ao longo dos anos, até para podermos apreciar ele ainda mais!

ternos atual 2

ternos atual 1

assinatura

3 de janeiro de 2016

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

0 Comments

  1. Responder

    Laura Calais

    5 de janeiro de 2016

    Amei o post <3 imagina se hoje em dia as mulheres usarem terno fosse tão comum como antigamente? hahaha

Deixe uma resposta