Eu virei uma velha amargurada?

cronica amargurada

Essa semana eu voltei a ver Gossip Girl (sim, muito atrasada). Eu era uma fã fiel da série quando estava no colégio, mas com o tempo acabei deixando pra trás e agora finalmente retomei a tradição.

Naquela época de escola eu adorava acompanhar os dramas e as fofocas do Upper East Side. Era louca pela Blair e amava as roupas da Jenny. E não me entenda mal, eu ainda gosto muito da série agora que eu voltei a assistir – mas alguma coisa mudou.

Eu comecei a implicar mais com os personagens e as suas histórias. Como a Serena é ingênua e irresponsável. Como a Jenny é chatinha e infantil. Como o Nate é panacão!?

Eu adoro a série, mas comecei a achar tantos defeitos em cada personagem que acabei me perguntando: será que eu virei uma velha amargurada???

Daquelas que não gosta de nada, que vê defeito em tudo, que implica com qualquer pessoa.

Isso também aconteceu quando eu vi How I Met Your Mother pela segunda vez. Os únicos que não me davam nos nervos eram o Barney e o Marshall. Lily me irritava com a mania de controle, não tinha paciência para as reclamações do Ted e a Robin, bem, nem vou comentar.

Eu falei isso pra minha mãe e a resposta dela foi: ué, bem-vinda ao mundo adulto.

Será que é isso mesmo? Será que, além de todas as outras coisas, a adultice nos dá de presente um olhar cético para a vida? Eu sempre tive um pézinho na velhice durante a minha vida, acho que tenho uma certa tendência a esse tipo de pensamento, mas mesmo assim me pegou de surpresa.

Talvez meus dias de achar fofinho aqueles romances bobos e de querer viver como uma socialite em Nova York tenham ficado para trás. Mas não quero perder totalmente aquele olhar meio infantil, lúdico e sonhador que comanda a primeira parte da nossa vida. Não estou pronta pra abrir mão dele.

Acho que se um dia eu me cansar dos filmes da Disney e das histórias de princesa, aí sim preciso me preocupar.

assinatura

Luísa Dal Mas

Jornalista, criativa, estressada, meio louca e apaixonada por moda e história. Tentando colocar um pouco de pó mágico nas coisas do dia a dia.

Deixe uma resposta